E hoje Comandos?

Soube-se ontem que o destacamento português na República Centro Africana, parte integrante da missão das Nações Unidas naquele país, entrou em combate. Sim, combate real. Por essa acção, que decorreu faz mais ou menos duas semanas, os militares portugueses foram agraciados com um louvor por parte do comandante das forças internacionais no terreno. Pela sua “prontidão operacional e excelente desempenho" na protecção da pequena localidade de Bambari de um grupo de rebeldes que a ameaçava.

O destacamento nacional – que representa a força de reacção rápida naquele teatro de operações – é composto por diversos militares do Exército e da Força Aérea Portuguesa mas, na sua grande maioria, é composto por Comandos. 

Os mesmos Comandos que, há alguns meses atrás, viram a sua existência ameaçada. O seu desempenho questionado e a sua honra manchada na praça pública. Alguns elementos políticos exigiram a sua eliminação a plenos pulmões.  Jornais colocaram-nos na capa. Telejornais abriram a emissão com eles. Gravaram-se reportagens especiais. Escreveram-se inúmeros textos de opinião. Esmiuçaram de fio a pavio o regimento, e, alguns, exploraram até ao limite o sofrimento dos familiares de quem, infelizmente, não sobreviveu. 

 Militares portugueses na República Centro-Africana (autor desconhecido)

Militares portugueses na República Centro-Africana (autor desconhecido)

E hoje

Hoje temos um punhado de homens e mulheres – cento e sessenta para ser exacto – que numa missão das Nações Unidas, num dos mais perigosos países africanos, cumprem o seu dever de forma exemplar. Com dedicação, com garra e, há que dizê-lo, com uns tomates do caraças. 

E, digo-o novamente, em combate. Sim. Combate. Não numa qualquer secretária em São Bento, mas no meio de uma selva africana com as balas a zumbirem ao ouvido. Homens e mulheres que, com a bandeira nacional no braço, defendem quem não tem possibilidade de se defender. 

Honram e elevam o nome de Portugal. 

E hoje

Hoje não há capas de jornais. Não há notícias de abertura. Não há reportagens especiais. 

Há somente a saudade angustiante de cento e sessenta famílias.

Algo me diz que para eles é suficiente

Parabéns Comandos. 

www.merlin37.com/rcacomandos

 

 O louvor às tropas portuguesas.

O louvor às tropas portuguesas.